Riscos Elétricos

O perigo não está só no choque elétrico, são vários os riscos elétricos que podem nos alcançar. Neste artigo vamos conhecer os principais riscos elétricos, como eles são causados e quais medidas de segurança e prevenção devemos adotar para minimizar os riscos elétricos. Antes de introduzir o tema segurança é preciso entender um pouco mais sobre as normas técnicas brasileiras. No Brasil, as normas oficiais são desenvolvidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e registradas no Instituto Nacional de Metrologia e Qualidade Industrial (INMETRO). Riscos Elétricos – Lâmpada quebrada Algumas Normas Técnicas Sobre Eletricidade Existem diversas normas que abrangem quase todos os tipos de instalações e produtos. Acompanhe as principais: NR 10 Estabelecida em 1978 e revisada em 2004, a norma estabelece requisitos e condições mínimas para as medidas de controle e sistemas preventivos relacionados a instalações que operam em extrabaixa tensão, baixa tensão e alta tensão. Com a aplicação da norma, a probabilidade de ocorrência de acidentes é reduzida significativamente. NBR 5410 – Instalações elétricas de baixa tensão Referência obrigatória quando se fala em segurança com eletricidade, a norma apresenta todos os cálculos de dimensionamento de condutores e dispositivos de proteção. A NBR 5410 engloba as diferentes formas de instalação e as influências externas de um projeto. Apresenta os aspectos de segurança de forma detalhada, incluindo o aterramento, a proteção por dispositivos de corrente de fuga, de sobrecarga, de sobretensões e sobrecorrentes. NBR 14039 – Instalações elétricas de média tensão (de 1,0 Kv a 36,2 Kv) Abrange instalações de consumidores incluindo suas subestações, dentro da faixa de tensão especificada. Estabelece critérios específicos de segurança para as subestações consumidora, incluindo acesso, parâmetros físicos e de infraestrutura. Alguns riscos que o trabalho com eletricidade envolve Ao lidar com instalações e serviços elétricos, os principais riscos elétricos são: o choque elétrico, o arco elétrico, a exposição aos campos eletromagnéticos e o incêndio. Choque Elétrico O choque elétrico ocorre quando uma corrente elétrica percorre o organismo humano e apresenta efeitos diversos. Tais consequências variam de acordo com o percurso e intensidade da corrente, tempo de duração, área de contato, frequência da corrente elétrica, tensão elétrica e condições da pele, constituição física e estado de saúde do indivíduo. Choque Elétrico O choque elétrico pode ser estático, ocasionado pela descarga eletrostática ou pela descarga de um capacitor; ou dinâmico, que ocorre por meio do contato com o elemento energizado. O choque dinâmico é o mais perigoso, pois a rede de energia elétrica mantém a pessoa energizada, ou seja, a corrente de choque persiste continuadamente. Os efeitos do choque elétrico incluem: parada respiratória, parada cardíaca, necrose (resultante de queimaduras profundas), alteração no sangue, perturbação do sistema nervoso e sequelas em vários órgãos do corpo humano. Exposição a Campos Eletromagnéticos A queda de um raio é um bom exemplo de formação de campos eletromagnéticos na atmosfera. A corrente do raio sofre variação no tempo e cria campos elétricos magnéticos no espaço ao redor do canal de corrente entre a nuvem e o solo. Arco Elétrico É uma ocorrência de curtíssima duração (menor do que 0,5 segundo) que se caracteriza pela passagem de corrente elétrica pelo ar ou por outro meio isolante. Na prática, o arco elétrico pode acontecer quando o trabalhador maneja ferramentas, instrumentos ou materiais condutores próximos de instalações energizadas. As principais consequências de arcos elétricos são queimaduras e quedas, tendo em vista que é formada uma onda de pressão que pode empurrar e derrubar o trabalhador. Medidas de Controle do Risco Elétrico Você já deve ter ouvido alguém falar sobre “Medidas de controle dos riscos elétricos”. A expressão abrange um conjunto de atividades que permitem identificar, entender, detectar, monitorar e evitar um risco elétrico. Verdades e Mitos Sobre Eletricidade As medidas de controle começam a ser definidas no projeto elétrico e prosseguem até os procedimentos para situações de emergência. Utilizar equipamentos à prova de explosão e certificados é um bom exemplo de medida de controle. Riscos Elétricos, Adicionais, Medidas de Controle e de Prevenção RISCO ELÉTRICO MEDIDAS DE CONTROLE Choque elétrico Desergenização, tensão de segurança, barreiras, invólucros, luvas, bota de segurança e capacete Arco elétrico Protetor facial e vestimenta Campos eletromagnéticos Não possuir implantes eletrônicos no corpo e/ou próteses metálicas, blindagens RISCOS ADICIONAIS MEDIDAS DE SEGURANÇA Trabalho em altura Cinto de segurança com trava de queda e linhda de vida Ambiente confinado Treinamento específico Área classificada Treinamento específico Instalação elétrica em ambiente explosivo Projeto e materiais certificados Sobretensões transitórias Dispositivos contra surtos Descargas atmosféricas SPDA e interrupção dos trabalhos a céu aberto Eletricidade estática Eliminação a partir do uso de ionizadores, aterradores e mantas dissipadoras Umidade Desumidificação Flora Remoção, considerando os critérios de preservação do meio ambiente Fauna Impedimento da circulação ou entrada nas instalações elétricas e controle das pragas Termos relacionados: sugestoes de cozinhas pre moldados concreto pintura que imita madeira manual para pedreiro sivil O artigo Riscos Elétricos é um conteúdo exclusivo de ConstruFácilRJ

Outros Artigos

Mais Artigos